Resenhas

Lady Killers: assassinas em série. Não há distinção de gênero para o mal

Livro: Lady Killers

Autor: Tori Telfer

Editora: DarkSide books (2018)

Lady killers é um livro que vem para quebrar alguns conceitos. Como a própria autora cita no prefácio, as pessoas sofrem de um problema de amnésia coletiva quando falamos de mulheres assassinas. Claro, a maioria dos assassinos em série são homens, e segundo pesquisas, apenas 10% dos casos são de origem feminina. Mas, a questão é que mulheres cruéis existem, e são facilmente esquecidas. A maior parte das mulheres relatadas no livro são dos séculos passados. Para se ter noção, a mais atual é Nannie Doss, da década de 50. A autora colocou no livro casos mais antigos propositalmente, para fins estéticos com o objetivo de causar terror e hipnotizar os leitores com as histórias de mulheres que existiram há tanto tempo.

Nannie Doss

O livro retrata a história de quatorze mulheres que deixaram um rastro de sangue por onde passaram. Os crimes são por inúmeros motivos e feitos das mais variadas formas. Muitas usaram do veneno como forma de se livrar de pessoas que estavam atrapalhando seus planos. As vítimas eram pessoas próximas, criados, funcionários e até desconhecidos.

Antes de começar o livro, eu não tinha noção da profundidade da pesquisa de Tori Telfer. Ela analisou diversos dados, e teve que até mesmo traduzir alguns documentos. Ela ambienta muito bem todas as histórias, nos contando o contexto da época, a repercussão na mídia e até mesmo os relacionamentos familiares e amorosos das assassinas. Todas essas referências nos ajudam a entender como funcionava o sistema econômico e social que muitas vezes foi o motivo que essas mulheres usaram para matar. E claro, o sarcasmo e as reflexões da autora são muito bem colocados durante o livro.

Mary Ann Cotton

O livro é muito completo e tem ótimos materiais extras. A edição brasileira lançada pela DarkSide Books, conta com uma galeria que apresenta mais 14 mulheres (casos mais atuais) que chocaram pela perversidade. Para quem gosta de filmes, uma parte do livro é inteiramente reservada para a indicação de obras que abordam o tema, como ficções, documentários, séries e curtas.

Galeria

Por se tratar de um livro da Darkside eu não poderia deixar de mencionar o capricho da edição. Todo em rosa e preto, o livro é caracterizado de uma forma vintage, com várias ilustrações de espartilhos. Com corte preto e fita para marcar páginas simulando uma faixa de cena de crime. As maravilhosas ilustrações que nos apresentam cada mulher neste livro, foram feitas pela artista Jennifer Dahburra, que assim como a autora teve um minucioso trabalho de pesquisa, já que dificilmente é possível encontrar boas imagens das mulheres descritas no livro.

Indicações de filmes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *