Resenhas

Um Bonde Chamado Desejo: Sedução e decadência

* Esta é uma análise do livro, portanto, pode conter spoilers

Um Bonde Chamado Desejo é uma obra marcada por conflitos. Lançado em 1947, a peça escrita por Tenesse Williams, apresenta como protagonistas Blanche DuBois e Stanley Kowalski.

Blanche, delicada, frágil e de origem aristocrata, se muda para a casa da irmã Stella com o objetivo de esquecer um passado sombrio que a atormenta.

Ao chegar no local em que sua irmã mora com o marido, em Campos Elísios, ela fica horrorizada a situação humilde em que Stella vive. Logo no primeiro encontro, Blanche explica que está desamparada: todos os parentes morreram e deixaram dívidas que culminaram na perda de Belle Reve, uma propriedade da família.

Por outro lado, temos Stanley: um trabalhador braçal, ganancioso e violento, que Blanche descreve como um animal. A tensão entre os dois se estabelece desde o seu primeiro encontro e se torna mais intensa após Stanley ficar ciente da perda da fazenda.

Stanley é do tipo de homem que passa por cima de tudo. No primeiro confronto com a cunhada para descobrir a verdade, ele acaba invadindo a sua privacidade e revira seus documentos pessoais sem a sua autorização. Alguns destes papéis eram cartas do seu falecido marido, que se suicidou. Neste instante, Blanche sai da realidade pela primeira vez e se perde momentaneamente nas suas memórias. Após voltar a consciência, ela explica que o terreno foi perdido por conta de “fornicações épicas”, realizadas de geração após geração, desde os tempos de seus antigos familiares. Mesmo com essa explicação, Stanley continua desconfiado.

O embate segue na mesma noite, com o pôquer que ele organizou em sua casa com os amigos do trabalho. Um deles, Harold Mitchell (Mitch), acaba se apaixonando a primeira vista por Blanche. Entretanto, o que deveria ser um momento doce, acaba gerando uma cena de violência: Controlador, ciumento e bêbado, Stanley perde a cabeça e acaba agredindo a esposa grávida.

Ao voltar ao juízo normal, Stanley percebe o que fez. Arrependido, ele chora como criança até que a esposa volte para a casa. Stella, que tem uma paixão devotada pelo marido, o perdoa. O casal se reconcilia com uma noite marcada por sexo.

No dia seguinte, Blanche conta o quanto ficou horrorizada e de como não entende como a irmã se submete aquela situação, já que ambas tiveram acesso a uma boa educação e tinham um estilo de vida refinado no passado.

Stella naturaliza a situação. Blanche propõe uma fuga e Stella deixa claro que não está em uma situação da qual quer se livrar. No outro quarto, Stanley escuta toda a conversa e se sente ameaçado. Ele começa a pensar em maneiras de se livrar da cunhada.

Para sair dessa situação, Blanche faz um plano de se casar com o Mitch. Além de ter sustento e um lar, ele poderia preencher a sua carência afetiva. No entanto, Stanley começa a investigar o seu passado e descobre que ela saiu fugida de uma cidade após ter se envolvido com um menor de idade. Depois deste ocorrido, ela começou a trabalhar como prostituta para conseguir se sustentar. Com tais descobertas, a única possibilidade de sua salvação, o casamento, havia acabado.

O acerto de contas entre Stanley e Blanche ocorre quando Stella acaba de ter o bebê e está internada no hospital. Stanley se aproveita do estado de desequilíbrio mental da cunhada para estupra-la. A consequência deste ato, a leva a loucura.

O final da peça traz Blanche totalmente desamparada e vulnerável. Ela aceita o seu novo destino: Um hospital psiquiátrico. Stanley retoma o controle da sua vida, casa e esposa. Stella tem consciência do ato de violência contra sua irmã, mas escolhe ficar ao lado do marido.

O desejo e a manipulação levaram estes personagens ao seu limite. São pessoas que foram derrotadas e vencidas pelas circunstâncias.

Escute a playlist do filme de 1951, estrelado por Marlon Brando e Vivien Leigh. A trilha sonora foi composta por Alex North.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *